O nosso atual Presidente da República Federativa do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, mais conhecido como Lula.

De retirante, usuário de “pau-de-arara“, ex-torneiro mecânico, ex-operário, o primeiro civil sem diploma universitário, o primeiro natural de pernambuco, que aos 57 anos, e após 22 anos do partido fundado por ele mesmo, três derrotas e oito anos de oposição ao modelo vigente, chega finalmente ao degrau mais alto, a Presidência do Brasil.

Tendo 61% dos votos válidos, o atual Presidente reeleito, entrou com árdua missão de dar uma guinada e “utópicamente” mudar o modelo de governo que até então era combatido por seu partido.

Após quatro anos de governo, que podemos chamar “a fase da estabilização”, o Brasil governado por Lula nada fez de “incomum”. Afinal, nós esperávamos um Presidente a altura do Lula dos tempos do sindicato, um Lula que iria governar da forma que o povo gostaria, porém assistimos um governo burocrático, semelhante aos outros, com a única diferença é que esse presidente se mantém próximo ao povo.

Esta opinião também é compartilhada pelos seus aliados, por exemplo, Plínio Arruda Sampaio, fundador do PT e líder do partido na constituinte (87/88), que num texto claro e límpido demonstra a sua indignação com a desvirtuação da ideologia e filosofia do partido e os caminhos que o Presidente eleito desempenhou nesta primeira fase.

Após a primeira fase, segue-se a segunda fase que viaja nos lombos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

O mais incrível é que quando se vai acelerar algo é porque este algo já está andando de forma rápida, ninguém acelera algo que está parado, afinal a aceleração se dá em algo com movimento.

Mas, quem lembra do PAC? Quem poderá se lembrar o Brasil está acelerado em seu crescimento quando o irmão do Presidente da República Federativa do Brasil está envolvido em esquema de tráfico de influência colocando em xeque a lisura do governo popular e democrata de nosso Presidente Lula.

O que será agora? Será que novamente o nosso Presidente irá declarar que não viu nada, não sabia de nada, estava olhando pro outro lado?

Por que será que todos os governantes se corrompem em suas negociatas e nenhum destes podem deitar ao travesseiro e dormir o sono dos justos?

Fonte:Wagner Cruz, O consultor, Wikipedia & Kibeloco


Anúncios